Tradição e Religião

As tradições na Zambézia incluem música, dança e artes performativas. Estas são expressão da profunda relação entre a sua população e as práticas religiosas e sociais reproduzidas diariamente. 
A música em Zambézia por exemplo pode servir a varios propósitos que vão da expressão religiosa às cerimónias tradicionais. Os instrumentos musicais são geralmente feitos à mão. Alguns dos instrumentos utilizados na expressão musical zambeziana incluem tambores feitos de madeira e pele de animal. 
Junto com as músicas, também as danças tem muita vezes um carácter ritual, tornando-se diferentes por cada tribo e de difícil compreensão e reprodução. 
Pelo que se refere à escultura esta esta vem pela maioria produzida em Madeira. Famosa é a tradição de algumas comunidades do interior da Zambézia que utilizam máscaras com rostros de pessoas, usadas nas danças tradicionais. No entanto as esculturas de madeira representam em muitos casos “árvores genealógicas”, refigurastes a histórias da comunidade o de um grupo familiar. 

Viajando pela Zambézia A diversidade cultural da província da Zambézia desenrola-se pela miscelânea tradicional dos chuabos, senas, lomues, marendjes e manhauas. Zambézia, província por excelência matrilinear é rica em recursos minerais, faunísticos, agrários e marinhos. Na Zambezia, pode-se conhecer a encantadora Lagoa Azul, a praia de Zalala bela e ladeada por imensas casuarinas, as águas termais e a cordilheira do monte Namuli.
· Em termos de crenças religiosas, a província da Zambézia é composta por 40% de católicos, evangélicos e pentecostes 10%, islâmicos 9,7%, ziones 8,6%, 1,1% de anglicanos. Sendo que, 16% não tem religião ou são desconhecidos. INE ( 2007).
No âmbito magico- religioso é prático a realização das cerimónias tradicionais denominadas Mukutho, em todos os níveis e eventos sociais. É ainda comum na Zambézia solicitar um feiticeiro (curandeiro) para se proteger, tratar uma doença , garantir a fidelidade de um marido ou uma esposa ou seduzir a sua amada. Do pequeno comerciante ao mais alto político, todos, pelo menos uma vez na vida, consultaram um feiticeiro e ninguém pensaria de duvidar da eficácia dessas práticas.
Na região zambeziana também vive um numero considerável de hindus e confucianos pela forte presença de indianos e chineses, sobretudo na Capital. Esta mistura de crenças torna a Zambézia uma região reconhecida pela sua tolerância religiosa.

cobras
“Dança das cobras” – Uma das manifestações artísticas mais famosas da província da Zambézia é a Enowa N’niketxe ou dança das cobras, que se caracteriza por um conjunto de homens e mulheres que realizam movimentos em forma de dança com cobras no pescoço e nas mãos. Os integrantes do grupo executam os seus movimentos de dança com cobras enroladas nos pescoços e braços. Esta dança fascinante é um legado do povo de Namarroi, transmitido de geração em geração. Antes da dança existe um ritual a ser seguido pelos dançarinos, obedecendo regras tais como: absterem-se do sexo uma semana antes e durante o evento, a alimentação das cobras escolhidas na mata é ovo e farinha e as cobras escolhidas deve ser mambas finas e verdes daquelas muito venenosas.
Depois de verificado estes aspectos preliminares, as cobras ficam hipnotizadas permitindo desse modo, aos dançarinos de poderem dançar com elas demonstrando os mais variados movimentos.
Este grupo folclórico já participou em muitos eventos culturais locais e nacionais destacando-se pela sua autenticidade e unicidade cultural que a caracteriza.

carnival
Carnaval de Quelimane – A Província da Zambézia é também conhecida como palco das celebrações carnavalescas em Moçambique. Este evento realiza-se entre os meses de Fevereiro e Março. O carnaval, um evento bastante apreciado pela sua forma exuberante na apresentação e no calor que empresta, torna-o numa das manifestações culturais mais importantes e celebrados na cidade de Quelimane.

danca niketxe
Dança Niketxe
 – 
Niketxe é uma manifestação cultural praticada por uma grande maioria da população da Alta Zambézia. Surge como um ritual ligado às cerimónias fúnebres. Caracterizada pela mímica e a teatralidade e o uso da máscara, a sua denominação deriva som (ketxe, ketxe, ketxe) produzido pelos chocalhos que os dançarinos usam nas pernas durante a sua actuação. (Lemia e Vilanculos: 2013).

independencia
Feriados Nacionais

· 3 de Fevereiro (Dia dos Heróis Moçambicanos) data da morte de Eduardo Chivambo Mondlane em 1969, considerado o Arquitecto da Unidade Nacional.

· 7 de Abril (Dia da Mulher Moçambicana) data da morte de Josina Machel em 1971, heroína nacional.

· 25 de Junho de 1975, dia da Independência de Moçambique contra o regime colonial português.

· 7 de Setembro de 1974. Assinatura dos Acordos de Lusaka, considerado dia da vitória porque Portugal abre espaço para a independência de Moçambique.

· 25 de Setembro de 1964 - Dia das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, data que marca o início da Luta de Libertação Nacional.

· 4 de Outubro de 1992. Dia da Assinatura dos Acordos de Roma, marcando o fim da guerra civil em Moçambique, considerando-se assim o dia da paz.